Conteúdo notícias

» Notícias

Núcleo da Defensoria Pública em Campina Grande passa por sanitização

Por: Larissa Claro

O Núcleo de Atendimento da Defensoria Pública do Estado (DPE-PB) em Campina Grande passou por um processo de sanitização para prevenir a contaminação pelo novo coronavírus (Covid-19). O procedimento foi solicitado pela coordenação do Núcleo e realizado pela Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP) na última quarta-feira (14).

O prédio havia sido reaberto no mês de agosto para atender assistidos com dificuldades de acesso aos meios eletrônicos (Chat e WhatsApp), mas o atendimento presencial foi suspenso depois do surgimento de dois casos suspeitos de contaminação. Os exames, contudo, deram negativo e o atendimento presencial será retomado na próxima segunda-feira (19), limitado a 35 fichas, sendo 20 para agendamento, 5 para a Vara de Sucessões, 5 para consulta e 5 para ofícios.

De acordo com a coordenadora do Núcleo, Gercilena Sucupira, o funcionamento do Chat continua paralelo ao atendimento presencial. O telefone/WhastApp, no entanto, será desabilitado. O horário de atendimento será das 8h às 12h para os usuários agendados e das 8h às 10h, para os não agendados.

TESTAGEM
– Para dar mais segurança no retorno presencial das atividades, defensores, servidores e estagiários que atuam no Núcleo de Campina Grande foram testados para a Covid-19 nesta sexta-feira (16). O resultado dos exames sairá antes do retorno das atividades.

PROTOCOLO - A Defensoria Pública elaborou um Protocolo de Funcionamento para ser aplicado no retorno das atividades presenciais da instituição. O documento traz diretrizes para o trabalho nas instalações da Defensoria Pública quando do retomo gradual das atividades presenciais e enquanto a disseminação do novo coronavirus (Covid-19) não estiver totalmente controlada no Estado da Paraíba. As orientações observam as recomendações dos órgãos sanitários e podem ser alteradas, de acordo com as medidas de contenção do vírus no Estado.

SANITIZAÇÃO
- A sanitização de ambientes é feita com álcool 70% e também com a mistura adequada de cloro e água. É uma maneira eficaz de prevenção e extinção de possíveis focos de contaminação dos micro-organismos que causam a doença.